Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Rapariga na Aldeia

Blog pessoal de uma rapariga que vive na aldeia e às vezes vai à cidade.

A Rapariga na Aldeia

Blog pessoal de uma rapariga que vive na aldeia e às vezes vai à cidade.

Chegar bem aos 90 anos

Parece que estou a ver a minha avó, de 90 anos, numa segunda feira normal, a aprumar-se para o seu programa diário no centro de dia aqui da aldeia. Com uma energia, que eu considero pouco própria para a idade, sem frio, de mangas arregaçadas e a preparar-se para jogar uma cartada com as amigas da sua mocidade! Dá-me gosto perceber que sente aquela "obrigação" em frequentar o "convívio" como ela lhe chama! Também eu quero chegar assim aos noventa (mas com mais dentes se fosse possível!!) com um ter que fazer, um objetivo definido para cada dia, com a obrigação de sair de casa e não ficar ali parada à espera de nada! As tardes de convívio alimentam-na, acrescentam-lhe saúde e vitalidade, fazem-na esquecer por algumas horas as amarguras da vida, fazem-na puxar pela cabeça enquanto decide qual o naipe que vai jogar. Quando a visitamos vemo-la muito embrenhada nas suas jogatanas, a fazer contas de cabeça, e nem a nossa presença a distrai porque possui um mau perder excessivo!! Tudo com uma linguagem muito própria. Ouço-a falar com as amigas e confesso que, às vezes, tenho dificuldade em acompanhar os diálogos! Sim, isto existe. Quem vive na aldeia sabe que há um dialeto muito especifico e, ou uma pessoa se adapta e tira umas pelas outras, ou faz figura de otária a pedir repetição da frase! 

 

Também eu quero chegar aos noventa assim tão consciente e capaz de conviver como a minha avó. Ter orgulho no que ainda sou capaz de fazer. Conseguir ver e ler as legendas das séries da RTP2. Também eu quero que os meus filhos me deixem no convivio às duas da tarde e me vão buscar às cinco. Como eu lhes fiz quando andavam na creche (mas num horário bem mais alargado!). Porque eu com noventa anos já me posso dar ao luxo de não conduzir. Vou chatear filhos, netos e bisnetos para serem meus motoristas. Ora bolas, a idade é um posto e eu vou tentar aos noventa fazer disso bandeira! 

 

Tenho um terço da idade da minha avó e num dia cinzento e feio em que se nota um pouco mais de frio, estou aqui meio encolhida em frente ao computador, de manta a cobrir as pernas e um casaco de "andar por casa", entenda-se foleiro e a pensar em beber um chá bem quente daqui a cinco minutos!

  

Ao pé da minha avó eu sou uma maricas! 

♥️

2 comentários

Comentar post

A Blogger

Sigam a Rapariga

Follow my blog with Bloglovin Follow

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D