Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Rapariga na Aldeia

Blog pessoal de uma rapariga que vive na aldeia e às vezes vai à cidade.

A Rapariga na Aldeia

Blog pessoal de uma rapariga que vive na aldeia e às vezes vai à cidade.

Uma Macaca na Cidade (26)

A CUP OF JO

 

Hoje a minha sugestão é um “vá para fora, sem sair de casa”.

 

Assim uma espécie de passeio virtual pela blogosfera, com aterragem em Nova Iorque, mais concretamente em Brooklyn.

 

Dei por mim a refletir sobre esta minha paixão – acho que posso dizê-lo sem medos, é de facto uma paixão! – por blogs e apercebi-me de que há um blog que está lá desde o início, foi um dos primeiros que explorei e que é, para mim, um dos blogs mais completos.

Falo do A CUP OF JO, da doce Joanna Goddard, uma mãe norte-americana, com uma vida (e um blog) simples e despretensiosa e dois filhos super-fofos.

 

Esteticamente o blog é irrepreensível. No que toca aos conteúdos, a Joanna tanto fala de um novo baton da MAC que a faz sentir bonita num dinner date com o seu marido Alex, como aborda a difícil temática da infertilidade, sempre com um cuidado, bom senso e mindfulness impressionantes. É precisamente aqui que acho que o CUP OF JO faz a diferença, na forma de abordar as questões mais difíceis e de nos por a pensar sobre elas, muitas vezes de uma forma que nunca tínhamos pensado.

 

As sugestões de links para o fim de semana são SEMPRE imperdíveis e invariavelmente divertidas/úteis/importantes/atuais.

 

A maternidade é, inevitavelmente, um tema incontornável e ainda que o blog seja mais destinado ao público feminino, a perspetiva masculina é amiúde ressalvada e não esquecida (seja com sugestões de presentes para o dia do pai ou com reflexões sobre paternidade e relações nos dias que correm).

 

Por todas estas razões, o CUP OF JO merece a vossa visita (diária), acreditem!

Collage_Fotor1.jpg

 

 

E vocês?

Qual o vosso blog (além-fronteiras) preferido?

roupa-para-bebs-na-fantasia-de-macaco-g-18919-MLB2

Macaquinhas no Sótão

 

Uma Macaca na Cidade (25)

“Os meus olhos são holofotes, a policiar o infinito”

Almada Negreiros (1893-1970)

 

Está patente até ao próximo dia 5 de Junho, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, uma exposição antológica mostra a obra de José de Almada Negreiros, um artista que catalisa a vanguarda nos anos 1910 e atravessa todo o século XX.

 

“A exposição apresenta um conjunto de obras que reflete a condição complexa, experimental, contraditória e híbrida da modernidade. A pintura e o desenho mostram-se em estreita ligação com os trabalhos que fez em colaboração com arquitetos, escritores, editores, músicos, cenógrafos ou encenadores. Esta escolha dá também visibilidade à presença marcante do cinema e à persistência da narrativa gráfica ao longo da sua obra. Juntam-se ainda obras e estudos inéditos que darão a conhecer diferentes facetas do processo de trabalho artístico de José de Almada Negreiros”, pode ler-se na apresentação da exposição, no site da Gulbenkian

 

“Os meus olhos não são meus, são os olhos do nosso século!”, diz Almada e nós acreditamos!

 

A exposição é de uma riqueza artística notável e facilmente encontramos referências gráficas do nosso imaginário de pessoas com parte da sua vida passada no séc. XX. A sensação de “olha este azulejo/cartaz, não fazia ideia que era do Almada…” é constante. É uma exposição que vale a pena, mesmo para quem acha que Almada e Negreiros são clubes de futebol da 3ª divisão (quem não conhece a velha piada do Almada-1 x Negreiros-0? 😁😁😁).

 

Tinha imensas saudades de ir a um museu, ver uma exposição. É algo que adoro fazer e que já há algum tempo que não tinha oportunidade. Assim, aproveitei a manhã do Dia da Mãe, peguei na baby mais nova e lá fomos as duas.

Collage_Fotor2.jpg

Collage_Fotor1.jpg

Perdoem-me a má qualidade das fotos, mas a Maria – ao contrário do Manel, que ficava sempre muito atento (ou a dormir… acho que era mais isso!) no carrinho quando resolvia levá-lo a exposições/museus – resolveu não parar quieta, berrar e espernear para sair do carro e só quis andar de mão dada e a empurrar o próprio carrinho ou a gatinhar (ou melhor, a arrastar-se) pela exposição fora… Acho que ela gostou particularmente dos sofás que pontuam a sala de exposições, e que para ela serviam de apoio. Por acaso não sei quem os desenhou, mas tenho quase a certeza que não foi o Almada…

 

Anyway… Não percam! Ideal mesmo é levar farnel e fazer um pic-nic nos jardins da Fundação.

roupa-para-bebs-na-fantasia-de-macaco-g-18919-MLB2

 

Uma Macaca na Cidade (24)

Nem de propósito…

 

“Conversar sobre os livros é ler com os amigos” é o lema da iniciativa que Alvalade, Capital da Leitura, que começa hoje e termina a 14 de maio.

 

Um lema muito a propósito da minha crónica anterior… E que, posto assim, quase me faz mudar de ideias sobre os clubes de leitura.

 

Mas vamos ao que interessa: Alvalade volta a mostrar o seu dinamismo e a provar que é um bairro onde dá gosto viver! Grande iniciativa, sim senhora!

 

A abrir o apetite para a grande Feira do Livro, que está mesmo aí a chegar…

 

As atividades no âmbito desta iniciativa – que incluem palestras, oficinas e uma feira do livro – são para todas as idades e vão ter lugar em diversas zonas do bairro, como centros comerciais, museus e escolas primárias.

p000004628.jpg

Os dias 6, 7 e 13 de maio vão ser dedicados à literatura infantil. As crianças vão poder participar numa oficina de livros pop up (6 de maio, às 15h), onde vai ser possível transformar alguns desenhos em histórias de fantasia. Vão ainda poder visitar a Biblioteca Nacional (13 de maio), onde se situa um pequeno hospital de livros que precisam de ser remendados. O bairro a dar cartas e a usar dos seus trunfos, como a Biblioteca Nacional!

 

Os programas dos outros dias incluem apresentações de livros; uma exposição sobre a obra de Jane Austen, organizada pela Faculdade de Sociais e Humanas de Lisboa; um espetáculo de Poesia Performativa, por Paulo Condessa; e até um espaço onde Rodolfo Castro vai ser o “pior contador de histórias do mundo”, numa atividade reservada para o Dia da Mãe (domingo, 7 de maio).

 

No auditório da sede da Junta de Freguesia, vai acontecer a conferência “São Livros Para os Meus Ouvidos”, moderada por Carlos Vaz Marques que vai ter a participação de Pedro Mexia e do músico Samuel Úria.

 

O evento tem entrada livre e termina a 14 de maio, nos jardins do Bairro das Estacas, onde vai acontecer uma Feira do Livro Infantil, das 10 às 19 horas. Além da celebração do 35.º aniversário da coleção de livros “Uma Aventura”, de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada, a organização convida todos os visitantes a levarem livros para que os possam trocar com desconhecidos num pequeno piquenique.

 

Para se inscrever nas suas palestras favoritas e no espetáculo de stand-up, envie um e-mail para comunicacao@jf-alvalade.pt, onde deve colocar o nome, a idade e o contato. Consulte a página oficial do evento para ficar a conhecer estas e outras atividades que fazem parte do programa oficial.

 

Venham daí! Todos a Alvalade!

E vivam os livros!

 

roupa-para-bebs-na-fantasia-de-macaco-g-18919-MLB2

 

Uma Macaca na Cidade (23)

Clube(s) de Leitura 

 

Desafiou-me a Rapariga a seguir o seu exemplo e inscrever-me no Clube de Leitura da Cocó… Que é um excelente incentivo para ler, pelo menos, um livro por mês. Sem dúvida que sim! A verdade é que ler faz parte do meu ADN e não preciso de grandes incentivos para ter a mesa-de-cabeceira a tombar de volumes ou um livro diariamente a fazer-me companhia na carteira. E pode não parecer, mas as moças da cidade são muito tímidas. Eu sou. E isto de ler, para mim, é um exercício/experiência muito pessoal/solitária/individual. Não me estou a imaginar numa sala com imensos estranhos a discutir coisas que por vezes são francamente íntimas. Nada contra, mas a mim faz-me espécie. 

 

Já escrever, é outra coisa… Vai daí, vou falar-vos do livro que acabei de ler há uns dias e de que a Rapariga aqui já falou em jeito de sugestão natalícia (se bem me recordo):

A Gorda, de Isabel Figueiredo. 

4cfpibemiljqbrfyqkogxcozo22.jpg

 

Posso dizer que me remeteu amiúde para a minha escritora portuguesa contemporânea de eleição – a Dulce Maria Cardoso – o que por si só é um ponto muito positivo. A escrita é crua como eu gosto, mas não tanto como a da Dulce Maria. Crueza contudo suficiente para me deixar com aquele nó permanente na garganta. 

O ritmo da escrita é incrível… A princípio parece tão simples (quase simplista), mas depois apercebes-te que estás sempre na iminência do choro, sem entenderes bem porquê... São a solidão, a insegurança e o desamor no feminino – fio condutor desta estória –, bem com as referências ao quotidiano e à contemporaneidade que fazem com que o leitor facilmente se identifique com esta personagem, com A Gorda. 

É uma leitura muito fácil e nada demorada, mas pesada e daqueles textos que ficam a remoer cá dentro (como eu gosto!). 

 

E vocês? O que andam a ler? 

 

Deixo-vos, a este propósito, um desafio que há algum tempo me foi feito no blog e que me deu um imenso prazer responder. AQUI e AQUI 

 

Rapariga, fico à espera das tuas respostas. Bem como do relato da tua experiência no Clube de Leitura da Cocó, vale?

roupa-para-bebs-na-fantasia-de-macaco-g-18919-MLB2

 

 

 

Uma Macaca na Cidade (22)

Diz-me quem segues no Instagram, dir-te-ei quem és! 

 

É, para mim, a rede social do momento. Gosto do formato “toca-e-foge” do pequeno apontamento fotográfico, seguido de legenda mais ou menos inspirada e da #hashtag obrigatória e virtualmente agregadora. 

 

Mais do que uma rede de amigos (como o Facebook), uso o Instagram para seguir um conjunto de personalidades mais ou menos conhecidas, que de alguma forma me inspiram.

ATENÇÃO: a linha que separa inspiração de comparação (inimiga da felicidade) é muito ténue!

O Instagram faz de nós voyeurs profissionais, ao “democratizar” as elites/celebridades, colocando-as em pé de igualdade connosco, meros mortais! 

20160621172035-instagram-mobile-smartphone-social-

 

Tenho uma conta de Instagram pessoal (não como Macaca) e privada (seguidores carecem de validação) e sigo aproximadamente 250 perfis. Acredito que as pessoas que seguimos (e até os nossos seguidores) revelam muito da nossa personalidade e forma de estar na vida. 

 

Posso dizer-vos que entre as personalidades que sigo tenho duas irmãs Kardashian e uma Jenner, a nossa Vitoria Secrets angel, as Nações Unidas, o Anthony Bourdain (e, claro, o Jamie Oliver!), algumas marcas de roupa de criança, dois concorrentes do The Voice Portugal, fotógrafos, bloggers e it-girls, uma escritora que venero, o João Cajuda (blogger de viagens reputadíssimo – é masoquismo total ver a conta dele de IG!!!) entre outros tantos amigos e conhecidos. E sigo, obviamente, a nossa querida Rapariga. 

 

E vocês? Têm Instagram? Postam muitas fotos? Seguem muitas celebridades? Contem-me tudo, vá… 

 

Diz-me quem segues no Instagram, dir-te-ei quem és!

roupa-para-bebs-na-fantasia-de-macaco-g-18919-MLB2

Uma Macaca na Cidade (21)

Avós: essa entidade que acredita na equação açúcar = amor 

 

Tenho a sorte de contar com a minha mãe e com a minha sogra para tudo, neste desafio que é ser mulher+trabalhadora-a-tempo-inteiro+mãe-de-2. Estão ambas perto, física e emocionalmente, com uma disponibilidade que não tem preço (e mesmo que tivesse, nunca lhes conseguiria pagar). 

 

Está cientificamente provado o quão benéfico é para as crianças o convívio com os avós (e vice-versa) e isso reflete-se no desenvolvimento deles. Também eu tive essa felicidade na minha infância e marcou muito a minha forma de ser e de estar na vida. 

 

Isto para dizer que ter os avós por perto é excelente, mas como tudo, tem as suas perks… Nem a minha mãe, nem a minha sogra são intrometidas no que toca à educação dos netos, mas ambas têm um problema… Não percebem muito bem a palavra não e quando a negativa se prende diretamente com restrições alimentares (nomeadamente de doces), a coisa piora. 

 

No tempo das então mães agora avós, não havia toda a informação de que hoje dispomos relativamente aos perigos do açúcar. Mas hoje temos! Não sou fundamentalista... Os meus filhos comem a sua bolachinha Maria e a sua língua de veado pontualmente, até o seu ice-tea ou coca-cola de vez em quando (aqui refiro-me essencialmente ao Manel, de 6 anos, posto que a Maria ainda tem só 14 meses)… O problema é quando esse de-vez-em-quando se torna regra, ao invés de exceção. E as avós são pródigas neste “mimo de açúcar” constante. 

 

Depois das férias em Cabo Verde, em que Manel abusou de doces, refrigerantes, pizzas e outras “porcarias” – precisamente porque estava de férias e as férias também são para isso – combinámos com ele que faria um “detox” assim que regressasse a Lisboa. E, claro, avisámos as avós, às quais pedimos (exigimos!?) a sua colaboração. 

 

Primeiro dia em que a minha mãe vai ficar com a Maria: 

- “Olha, passei no Choupana e trouxe dois croissants.” 

- “Mãe, que parte do não-tragas-bolos é que não percebeste?” 

- “Oh, croissants não são bolos…” 

- “… (rolling eyes)…” 

 

Este fim de semana, depois de passar um dia em casa da minha sogra, Manel chega a casa com um pacote de bolachas tipo-Oreo praticamente todas comidas e meio pacote de amêndoas de chocolate (ele que até há bem pouco tempo nem gostava de chocolate). Quanto às amêndoas, a minha sogra descartou-se com um “foi alguém que lhas ofereceu”, do tipo “a culpa não é minha” como se isso fosse o que realmente importa… No caso das bolachas tipo-Oreo, brindou-me com um paternalista “olha que estas bolachinhas até nem são nada doces, por acaso…” (rolling eyes!!!). 

 

O mais cómico (confesso que até tive pena dela quando se apercebeu do que estava a dizer, daí o cómico) foi quando eu estava a trocar os sapatos do Manel e reparei que estavam sujos e a minha sogra, depois de toda esta conversa, se descai com um “ah, isso foi chocolate de um gelado que ele comeu…”. 

 

A sério, por favor, alguém me diga como se educam estes avós?

 

roupa-para-bebs-na-fantasia-de-macaco-g-18919-MLB2

 

Uma Macaca na Cidade (20)

Bubista 

 

Que é como quem diz Boa Vista em crioulo… 

17439510_10210692876832556_276852305_n.jpg

 

Boa Vista é uma das 10 ilhas que compõem Cabo Verde, a mais próxima do continente africano e uma das mais turísticas do arquipélago. A escassas quatro horas de distância de Portugal, com um clima estável ao longo do ano (sem grandes amplitudes térmicas) e ameno (a dar para o quente), água do mar a temperatura bem mais simpática que a da nossa costa e de língua oficial portuguesa, este país tem tudo para ser um destino de férias apetecível. 

 

Quanto a nós, fugimos ao turismo de massas/resort e aproveitámos para ficar em casa de amigos, conseguindo desta forma absorver um pouco do que é o quotidiano das gentes e da vida na ilha da Boa Vista. 

 

 

 

Uma Macaca na Cidade (19)

Olá, sou eu, a Cátia. Outra vez a invadir o espaço que é da Macaca! Mas, sabem como é, ela insiste em manter-se de férias e alguém tem de segurar as pontas 😁. 

Assim sendo, o que é que vos digo?

Que a Macaca tem enviado sinais (fotos) de que está tudo impecável. Com ela, com os seus e com as suas merecidas férias na Boavista, Cabo Verde! 🏝

17571766_10210754856342005_1748498741_o.jpg

 

 

Uma Macaca na Cidade (18)

Olá a todos, hoje sou eu que estou a escrever, a Cátia. Tomei de assalto esta rubrica porque a nossa querida Macaca está de férias! Mas, ainda assim, lembrou-se de nós e de que existe uma pobre coitada de uma rapariga na aldeia e enviou-me estas fotografias ... só para nos dizer que está a banhar-se em águas quentes e consequentemente, para piorar a minha vida 😢😢😢

17410186_10210692877432571_1284467738_n.jpg

17360561_10210692877872582_1331275724_n.jpg

17439510_10210692876832556_276852305_n.jpg

17409997_10210692877792580_1978367386_n.jpg

17409771_10210692877192565_373587164_n.jpg 

Espero que, quando voltar à sua cidade preferida, explique isto tudo muito bem explicadinho!!!! ♥️

 

Uma Macaca na Cidade (17)

A avó já está em casa. 

Os dias já são maiores. 

Os miúdos estão bem. 

A Primavera chegou à cidade. 

O meu cabelo está giro como há muito tempo não acontecia. 

“Perdi” o meu anel de noivado, mas voltei a achá-lo de forma praticamente milagrosa. 

Comecei a ler um livro novo. 

Tenho trabalho até à lua e quase não vejo o PC com tanto post-it lá colado. 

 

Havia tanto para escrever, mas a verdade é que já só penso nisto: 

mw-860.jpeg

 

Fui… 

E só volto em Abril. 

Não fiquem invejosos, tá bem xuxus?

roupa-para-bebs-na-fantasia-de-macaco-g-18919-MLB2

 

A Blogger

Sigam a Rapariga

Follow my blog with Bloglovin Follow

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D